O patrão agora é o povo

Brasil

Ricardo Roveran

Publicado em 03/03/2020

Agradeço a Deus pelo curto período de férias, no qual fui capaz de distanciar-me do trabalho e, assim, de todas as questões políticas, artísticas, econômicas, de segurança pública e sociais de forma geral. Assuntos que me empenho para acompanhar todos os dias graças ao ofício do jornalismo. Desligar-me por uns dias disso me fez ver tudo mais de longe, enxergar melhor e entender mais profundamente o processo que o Brasil atravessa neste fim de fevereiro e início de março.

A afirmação que tenho feito com meus companheiros da comunicação no programa que apresento desde janeiro, o Resumo do Dia, está certa: o governo Bolsonaro está em contagem regressiva. Faltam 2 anos e 10 meses para o mandatário eleito cumprir a agenda que levou o eleitor às urnas.

As perspectivas são boas. Parte dura do trabalho foi realizada no primeiro ano e, ao que tudo indica, as promessas de campanha serão pelo menos 90% cumpridas até 2022. Se não forem, pelo menos o esforço é notório e o empenho dos adversários os transforma em figurinhas carimbadas. Este é o ponto central aqui, dado que ser “figurinha carimbada” significa, em última análise, estar registrado na memória do povo.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar