Um ano depois

Geral

Pablo Barcelos

Publicado em 28/06/2021

Uma das primeiras ações de um órgão internacional foi por parte da World Travel & Tourism Council (WTTC), que lançou um painel de dados aprofundado – o Interactive COVID-19 Travel Demand Recovery Dashboard –, que destacava a recuperação da demanda de viagens em voos e hotéis e revelava as mudanças nas intenções dos viajantes por meio de pesquisas de viagens online. A ferramenta, atualizada quinzenalmente, fornecia aos usuários fácil acesso a dados qualitativos e quantitativos de viagens a nível global e regional, assim como para 33 grandes países ao redor do mundo, revelando a demanda de viagens desde o início do ano de 2020. Por meio do dashboard, foi possível navegar de maneira útil por uma vasta gama de dados conforme a demanda de deslocamentos ao redor do mundo, em resposta à reabertura gradual das fronteiras, conforme as restrições de viagens suspensas. Gratuita para todos os membros e não membros do WTTC, a plataforma apresentava duas visões distintas: a primeira com base nas tendências e pesquisas do Google (Google Trends) e a segunda por meio de atualizações bimestrais sobre movimentos e reservas, com informações de reserva dos parceiros de pesquisa da entidade no projeto, como a STRForwardKeys e Google Mobility Index. Além disso, a Global Rescue, empresa de serviços médicos, segurança, gestão de riscos e crises em viagens, fornecia dados que mostravam quanto cada país ou mercado-chave está aberto, no contexto das restrições de viagens impostas para combater o novo Coronavírus. “Criamos o painel com dados qualitativos e quantitativos para fornecer insights que podem ser cruciais para ajudar o setor de Viagens e Turismo a reiniciar e mapear o caminho para sua recuperação. A ferramenta permitirá que os tomadores de decisão acompanhem o impacto das políticas públicas, monitorando as flutuações positivas e negativas das reservas de voos e hotéis e também das pesquisas de viagens on-line, além da confiança do consumidor”, explicava a presidente e CEO do WTTCGloria Guevara.

Mais de 100 dos principais líderes mundiais de viagens e negócios das principais companhias aéreas, aeroportos, hotéis, operadoras e empresas de viagens, como a British Airways, Emirates, Virgin Atlantic, Accor, Hilton, Hyatt, CWT, Expedia, Tui, Travelport e Uber apoiaram o movimento de pedido de ajuda por meio de uma carta. Os representantes apelaram por uma ação coordenada urgente ao então presidente dos EUA, Donald Trump, e seis outros chefes de Estado do grupo de países do G7, assim como Austrália, Coreia do Sul e Espanha, os principais mercados emissores mundiais. De acordo com dados do WTTC, durante 2019, viagens e Turismo foram responsáveis por um em cada dez empregos (330 milhões no total), fazendo uma contribuição de 10,3% para o PIB global e gerando um em cada quatro de todos os novos empregos. É também um dos setores mais diversos, empregando pessoas de todas as origens socioeconômicas, independentemente de idade, sexo ou etnia, e inclui 53% de mulheres e 30% de jovens.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar