Internet: da anarquia ao controle total

Geral

Alexandre Costa

Publicado em 21/06/2021

Antes de receber o nome que usamos hoje, e antes mesmo de funcionar, a Internet surgiu como uma porta para um universo de infinitas possibilidades. Desde os primeiros insights de Paul Baran, da Rand Corporation, a possibilidade de conexão entre computadores atraiu a atenção de pessoas com perfil anárquico. Se por um lado o próprio Baran e seus colegas cientistas da computação tinham profundas ligações com poderosas instituições do deep state, no campo dos aficionados e primeiros usuários civis, em sua maioria nerds, e hippies atrelados ao mundo acadêmico, o sentimento era libertador, anticensura e antiburocrático.  

Após o sucesso de consolidação do projeto capitaneado pela Arpanet, houve uma divisão entre a rede militar e a rede aberta, civil. E daí em diante, a Internet ganhou aparente liberdade e independência. 

Hoje sabemos que tudo que transita pela Internet pode ser rastreado, mas naquele momento essa aparência de liberdade sem limites era bem convincente. Milhares de sites e milhões de usuários usufruíram desse privilégio por pouco mais de uma década.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar