Violência no Rio: um grande vilão contra o turismo

Brasil

Pablo Barcelos

Publicado em 15/06/2021

O estado do Rio de Janeiro é o nosso principal cartão postal. Mas de que forma somos vistos no exterior? Infelizmente, o governador Cláudio Castro não consegue promover boas políticas públicas contra o crime organizado nem implementar bons projetos culturais e de capacitação, visando abrir novos horizontes aos jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social. Continuamos a ser vendidos na internet como o paraíso das praias, do samba, das drogas, sendo hoje, o segundo país que mais consome cocaína no mundo e, infelizmente, do turismo sexual, tema último que abordarei com ênfase na parte final do artigo.

Das operações ilícitas, do PL para legalização das drogas, dos desvios de verbas públicas, do envolvimento das associações, ONGs e partidos políticos com as organizações do narcotráfico internacional.                

Vamos aos dados da cidade carioca: a Cidade da Polícia foi construída em 2013 no governo Sérgio Cabral em frente à favela do Jacarezinho, expondo policiais aos traficantes, carente de qualquer requisito estratégico, assim como a situação das UPPs. Recentemente, um confronto com cerca de 40 minutos de tiroteio intenso virou noticiário mundial. Com Fuzis AK- 47, Fal, G3, M-16, AR-15 e granadas na comunidade do Jacarezinho (fortaleza do Comando Vermelho para dominar outros territórios). 

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar