Inclusão livre de ideologias

Geral

Pablo Barcelos

Publicado em 07/06/2021

Na contramão das agendas globalistas, que sequestraram o verdadeiro sentido da inclusão com narrativas deturpadoras, eis que surge no Brasil um movimento resistente a tais teorias de um mundo híbrido e refém de organizações e instituições supranacionais. Nesse artigo, venho abordar os projetos para pessoas com deficiência (PCD), feito de pessoas para pessoas, sem influência de ideologias! 

Conscientização, capacitação profissional para melhor receber essas pessoas, respeitar e aprimorar as leis vigentes, implantar sistemas nos equipamentos, vias públicas, equipamentos turísticos e nos mais diversos lugares que permitam com que as pessoas sejam incluídas em todos os meios. Do mercado de trabalho ao turismo e lazer. É disso que trataremos com análise desse importante trabalho que se inicia no país.

A importância dada por parte da maioria dos governos estaduais e municipais é muito tímida e, porque não dizer, descompromissadas com as aproximadamente 50 milhões de pessoas com deficiência no Brasil. Segundo os dados mais recentes, há 13 milhões de pessoas com deficiência motora; 36 milhões com deficiência visual; 10 milhões com deficiência auditiva; 2,5 milhões com deficiência mental ou intelectual. Quase 25% da população possui algum tipo de deficiência ou mais de uma, segundo dados do último Censo (2010), fornecidos pelo IBGE.  

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar