Jornalismo Hashtag

Geral

Alexandre Costa

Publicado em 07/06/2021

Algumas pessoas demonstraram surpresa e indignação diante do uso de hashtags em uma postagem recente da Folha de São Paulo. Alegando “noticiar” as manifestações que pediam o impeachment do presidente Jair Bolsonaro, o jornal usou as tags e palavras-chave que estavam sendo usadas como convite aos manifestantes. Como a operação foi deliberada e a intenção nitidamente ideológica, não se tratou de informar, mas de formar um juízo de valor e promover as manifestações.

A postagem foi calculada para induzir os leitores sem, no entanto, parecer ostensivamente favorável às manifestações. O objetivo era amplificar o alcance do “convite” e dar a ele uma importância maior do que tinha na realidade. Mas sempre mantendo a aparência de imparcialidade. Esse é o truque.

Além da cobertura jornalística enviesada, feita por pessoas com limitadas capacidades cognitivas ou comprometidas com interesses materiais, ideológicos ou partidários, esse deslize apenas confirma um modus operandi. A única diferença é que desta vez parece que erraram na medida e exageraram na dose, mas quem observa o trabalho da grande imprensa com atenção não se surpreende com uma notícia dessas.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar