Crise e Transformação

Geral

Alexandre Costa

Publicado em 24/05/2021

Nos artigos anteriores procurei demonstrar que as turbulências de uma crise favorecem a concentração de poder, a ascensão dos tiranos de todas as estaturas e a aceitação de iniciativas de controle social que retiram direitos fundamentais dos indivíduos.

Durante uma crise, todas as tendências totalitárias eclodem. E, depois dela, caso não enfrentem resistência, seus desdobramentos causarão mudanças profundas nos alicerces da sociedade, de forma a acelerar o processo de alcançar o controle absoluto tão desejado pelos megalomaníacos totalitários e pelos idiotas apavorados e desinformados.

A crise também pode funcionar como um gatilho que expõe as entranhas da cosmovisão hegemônica de sua época. Muitos elementos que, apesar de instalados no âmago da sociedade, permanecem na sombra, nesse momento rompem a fina camada que os mantinha discretos e vêm à luz para mostrar que a transformação que já começava em silêncio está pronta para continuar em um novo estágio, muito mais ostensivo.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar