O inimigo oculto

Brasil

Alberto Alves

Publicado em 03/05/2021

Ao que parece, a sociedade brasileira está acordando novamente. Felizmente, ainda há tempo para que algo seja feito antes de nos tornarmos reféns impotentes do domínio da esquerda sem opções seguras de saída. O grande problema é que a sociedade ainda não percebeu que o que está acontecendo na política é apenas o sintoma de algo muito mais grave que vem nos envolvendo há décadas e, se não soubermos combater isso com lucidez, não irá mais adiantar nem ir mais às ruas. Não por medo de retaliação por parte do Estado, mas por pura falta de pessoas esclarecidas e dispostas a defender os nossos valores, uma vez que elas já foram cooptadas organicamente pelos discursos sedutores da esquerda ao longo das gerações.

Como bem disse o filósofo Olavo de Carvalho, “Você não está vendo ninguém formar a elite futura, mas ela está sendo formada neste mesmo momento em todas as universidades. O sujeito que é presidente de um centro acadêmico hoje, é um juiz de direito ou um ministro amanhã”.

Será essa geração formada dentro das asas da esquerda, que irá ocupar os espaços no futuro depois que a geração que ainda se lembra das disciplinas de “Educação Moral e Cívica” e “Organização Social e Política Brasileira – OSPB”, do antigo Segundo Grau, hoje Ensino Médio terá se retirado. Assim, não adianta se preocupar apenas com as eleições se não tivermos a consciência de que o problema é muito mais profundo. Não que ela não seja importante, pelo contrário, ela será a nossa última chance de tirar a esquerda do Poder Legislativo. 

No entanto, se nada for feito na base, que é onde os revolucionários são mais poderosos e praticamente invencíveis, não haverá mais pessoas para defender a nossa identidade como nação, e os protestos de rua de hoje serão coisa do passado. Felizmente, essas mobilizações sociais já são alguma coisa, o que dará ao presidente o fôlego de que ele precisa para sobreviver até o ano que vem.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar