A pauta sobre armas no cenário brasileiro

Congresso

Daniel Lemos

Publicado em 26/04/2021

Em pauta no cenário político e do Judiciário estão os decretos presidenciais que flexibilizam o acesso a armas e munições, dentre outras medidas. Forças contrárias seguem o caminho de tentar barrar esse tema, que é um dos mais contundentes no plano de governo Bolsonaro, eleito em 2018. Apesar do apoio, em 2019, Jair Bolsonaro já havia publicado decretos que regulamentavam o Estatuto do Desarmamento, dando maior flexibilização ao tema. As novas normas publicadas em fevereiro, no entanto, atualizam dispositivos dos decretos anteriores.

Em apenas uma linha cito o plebiscito realizado em 2005, que não foi respeitado pelo Governo do atual egresso do sistema prisional, conforme tema de um Boletim da Manhã da semana passada o alcunhou, e desrespeitaram 65% da população brasileira que disse 'não' ao desarmamento, e essa vontade popular não foi respeitada.

Em meio ao surto da peste chinesa, um dos motivos para a busca desenfreada pela derrubada dos decretos entra na narrativa de momento de pandemia e que seria desastroso para o Brasil permitir esse maior acesso da população ao direito de autodefesa. As narrativas que povoam a mídia dizem que o tal Estatuto do Desarmamento diminui os números de homicídio e falam em pacifismo. Do nosso lado, buscamos esclarecer que as pautas do governo, eleito democraticamente em 2018, devem ser implementadas.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar