Espelho de Narciso

Cultural

Letícia Dornelles

Publicado em 19/04/2021

Na mitologia grega, Narciso é filho do deus do rio Cefiso e da ninfa Liríope. Quando Narciso nasceu, um dos oráculos, chamado Tirésias, disse que ele seria muito lindo e atraente. Que teria uma vida longa. Porém, não deveria admirar a própria beleza. Não poderia admirar o próprio rosto. Porque tal atitude amaldiçoaria a sua vida. 

A Ninfa Eco era apaixonada por Narciso. Mas o belo não lhe prestava tanta atenção. Narciso só admirava a si mesmo. 

Narciso era arrogante e orgulhoso. Não seguiu os conselhos do oráculo. Viu a sua imagem num lago e, deslumbrado, apaixonou-se por si mesmo. 

Segundo um conceito de Freud, “narcisismo” é o comportamento de amar a si mesmo de forma exagerada. Mais do que isso, até: amar a própria imagem de maneira a sequer se enxergar como se realmente é. E nem sempre estamos falando de beleza. Mas de um ego absurdamente imenso. De se endeusar, de se elogiar num nível que até a própria mãe diria: “meu filho, menos”. 

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar