E se for o PTB o partido da direita brasileira?

Executivo

Paulo Moura

Publicado em 19/04/2021

O presidente Bolsonaro definiu para si mesmo o prazo de março deste ano para definir o partido ao qual se filiaria para concorrer à reeleição, dado precisar de tempo para organizar a campanha e a inviabilidade do Aliança pelo Brasil, que não conseguirá o registro antes do pleito do próximo ano. 

No momento em que este artigo é escrito estamos na metade de abril e Bolsonaro ainda não anunciou qual será a legenda à qual se filiará, sinal de que não está encontrando as condições de que gostaria para aderir a um partido. O presidente quer o controle total sobre a nova agremiação para filtrar as candidaturas a deputado, senador e governador que comporão nominata com ele, de modo a evitar as consequências da mal encaminhada campanha do PSL em 2018.

Entre idas e vindas, o presidente recebeu convite do PTB e, até onde se sabe, já flertou com o Partido da Mulher Brasileira, com o Patriota e com a volta ao PSL. No presente momento, as informações dão conta das inclinações de Bolsonaro para uma dessas duas últimas legendas.

As negociações sempre empacam na questão do controle da legenda, pois quem é dono de partido até “aluga” a vaga de candidato a presidente, mas não “vende” o controle total do partido, como gostaria Bolsonaro.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar