E o mês ainda não acabou...

Brasil

Ricardo Roveran

Publicado em 22/02/2021

Neste mês o brasileiro assistiu a dois espetáculos bizarros que parecem fatos isolados. Apenas parecem. O primeiro, teve início no dia 5 de fevereiro, quando o YouTube - plataforma de vídeos e rede social do Google - resolveu tirar os dois canais do Terça Livre do ar. Talvez "censura" não seja o termo correto, mas aconteceu.

Então, inúmeras questões se seguiram sobre as Big Techs - gigantes da tecnologia - ao redor do mundo. Falamos de Polônia, Flórida, nos EUA, outra polêmica das eleições americanas publicada pela revista Time em forma de confissão do clero globalista e as decisões da Rússia que se mostraram como solução no momento oportuno.

Após muita meditação, quando ninguém esperava, a Justiça paulista deu a vitória a este pequeno veículo conservador que se esforça para sobreviver no meio virtual, uma vez que não alcança - ainda - concorrer numa concessão pública. Foi um glorioso dia 12. Um inesperado presente para todos nós. Todos menos o Google, que foi condenado a pagar R$ 5.000,00 - cinco mil reais, oh yeah - por dia até devolver os canais do Terça Livre.

Lindo né? Calma, foi apenas uma semana e meia. O inferno astral conservador cantava com o choro sirenes na madrugada política tupiniquim

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar