A liberdade é a essência da política

Congresso

Carlos Dias

Publicado em 22/02/2021

Em dois artigos publicados no primeiro semestre de 2020 nesta revista, “Liberdade, um direito natural” e “O direito de resistir”, quando excessos extraordinários avançavam sobre as liberdades da população brasileira, tratei das diversas nuances que envolveram à supressão das liberdades tornando-as uma espécie de concessão do Estado.

A prisão do deputado federal Daniel Silveira, por emitir opinião sobre ministros do STF é mais um capítulo na linha contínua e consistente no país de avançar na supressão de direitos inalienáveis e consagrar as anomalias do Poder Judiciário brasileiro.

Independentemente de acharmos reprovável ou não o conteúdo e a forma pela qual o deputado se expressou no vídeo, é inegável a cobertura constitucional plena da livre expressão de parlamentares.

Por razões óbvias a liberdade é imprescindível para a realização da política.

A liberdade é questão substantiva na existência e no exercício das diversas expressões das vocações humanas. Suprimi-la por atos de qualquer poder significa amputar a própria democracia. E isso se amplia especialmente no caso de representantes legítimos do povo votados em eleições livres.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar