Homens ou gado?

Judiciário

Tom Martins

Publicado em 24/09/2019

Numa Universidade de Filosofia, os alunos foram “desafiados” (evitei o termo “induzidos”, por mera camaradagem) a tecer argumentos racionais para mitigar nossas responsabilidades individuais e colocar o peso de suas ações nos ombros de algum fator externo qualquer.

O tema envolve as teorias da liberdade e a coragem de assumirmos o protagonismo de nossas próprias existências. Confesso que me restou a nítida impressão de que a Universidade edificou altares à tibiez existencial e à covardia de empurrarmos a responsabilidade de nossas ações para a sociedade, a cultura, os costumes, enfim, jogarmos tudo nas costas da influência mesológica.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar