Anita

Comportamento

Leônidas Pellegrini

Publicado em 31/12/2020

Em 30 de novembro de 2012, eu estava no intervalo entre minhas aulas em uma escola de Campinas, quando resolvi olhar meus e-mails, e eis que tive uma surpresa: no dia anterior, em Seattle, nascia minha sobrinha Anita, uma guerreira desde sempre. 

Naquele dia minha irmã Rita, grávida de seis meses e meio, e de uma criança que tinha UGR (uterine growth restritcion, o que a definia literalmente como subdesenvolvida), teve uma pré-eclâmpsia. Começou a sentir uma indisposição que foi crescendo, com pressão alta e falta de ar. 

Graças à providência divina, que se fez presente no rápido auxílio da vizinha Debora (nome do meio de Anita), que imediatamente levou minha irmã ao hospital, e na destreza do obstetra de plantão, as duas vidas se salvaram. 

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar