A ciência que não é Ciência, mas age como se fosse

Geral

Alberto Alves

Publicado em 14/12/2020

Escreveu certa vez o filósofo grego, Platão: “opinião é a faculdade que nos permite julgar pela aparência”. Parece já um consenso que as ciências sociais tenha ganhado o status de Ciência sem sê-la de fato quando deveria estar qualificada como uma opinião sofisticada de quem estuda o comportamento humano. 

Essa seria apenas uma discussão boba de definição não fosse as consequências gravíssimas na sociedade associadas a esse tipo errôneo de entendimento. Em nome da “Ciência”, muitas vidas têm sido seriamente prejudicadas e isso passa inadvertidamente pela forma como as opiniões são manifestadas. 

Longe de tentar diminuir a imagem dessas ciências quando interpretadas sob a forma de conhecimento, ou seja, ciência enquanto conhecimento, a discussão apresentada aqui abordará apenas o ônus que esse tipo de conhecimento traz quando é “convertido” de Ciência – com “c” maiúsculo – pelo rigor que o Método Científico exige que se tenha para ser considerada uma Ciência, coisa que as ciências sociais deveriam ter, e não as têm. 

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar