Fim de ano

Comportamento

Letícia Dornelles

Publicado em 14/12/2020

Dezembro, dezembro, dezembro. Repita comigo: dezembro. Contagem regressiva para mandarmos 2020 embora por justa causa. Sem indenização por serviços prestados.  

Se houvesse possibilidade, poderíamos dizer: “olha, o 2020 que eu pedi não foi esse que veio dentro da caixa. Faltaram peças. O produto tinha manchas e arranhões. A cor que escolhi era mais rosada, não esse cinza sem afeto. Sonhei com outro sabor, mais doce, e não esse azedume. Queria ter rido mais, porém chorei muito. Preferia ter conhecido mais pessoas boas, e menos cobras criadas, prontas a dar o bote.” 

Se bobear, ainda dá tempo de processarmos 2020 por danos morais e emocionais. Assédio moral. Se bem que é capaz de algum juiz entender que a culpa é do consumidor e recusar a ação. A culpa é da vítima. Inverter a causa e fazer com que desembolsemos um troco por falarmos mal de 2020. Liberdade de expressão só para quem nos ofende.  

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar