Estados Unidos da Zumbilândia

Cultural

Leônidas Pellegrini

Publicado em 14/11/2020

Amanhecia e Ana ainda não conseguiu dormir. Quando conseguiu fechar os olhos e começou a ressonar, acordou de um sobressalto com um barulho vindo do corredor. Levantou-se, foi até a porta do quarto e, na penumbra, reconheceu seu marido Louis, que faleceu há alguns meses. 

Seu primeiro impulso foi correr para abraçá-lo, mas o absurdo da situação a deteve. Ela o olhava embasbacada, sem reação. 

Louis se aproximou, cambaleante, e Ana pôde notar que ele tentava se comunicar, mas apenas grunhia. Apesar de seu estado de decomposição, ele usava um terno novo, todo azul, e com um broche do Partido Democrata.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar