Agenda 2030: produção sustentável e mudança climática

Comportamento

Alberto Alves

Publicado em 09/11/2020

Disse certa vez o filósofo e matemático grego Platão: “Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida”. 

Não podemos esperar que soframos com a completa adoção da Agenda 2030 para perceber o quanto ela é prejudicial à nossa própria sobrevivência, tanto como nação soberana quanto como no desenvolvimento da qualidade de vida. Infelizmente o Brasil está andando a passos largos em direção a essa agenda nefasta sem qualquer resistência de nossas lideranças políticas. 

Seguindo na análise dos pontos mais polêmicos dessa agenda chegamos no Objetivo 12, que é o Consumo e Produção Responsáveis e que tem como meta principal “assegurar padrões de produção e de consumo sustentável”. Esse é, de longe, o objetivo mais contraditório de toda essa agenda globalista. Se ela for colocada em prática como está em sua concepção, os objetivos 1, 2 e 3 simplesmente não poderão ser realizados, uma vez que eles são incompatíveis com o 12. 

A primeira meta do Consumo e Produção Responsáveis, versa “implementar o Plano Decenal de Programas Sobre Produção e Consumo Sustentáveis – PPCS, com todos os países tomando medidas, e os países desenvolvidos assumindo a liderança, tendo em conta o desenvolvimento e as capacidades dos países em desenvolvimento”.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar