Nacionalidade

Cultural

Letícia Dornelles

Publicado em 03/11/2020

Entro no mercado do bairro, aponto para uma prateleira, e peço:

- Por gentileza, um quilo daquele bacalhau norueguês. 

- Como assim, “norueguês”? – pergunta o dono do mercado, com ar  crítico, e tom de voz acusador. 

- Não entendi a sua dúvida. 

- A senhora deu a suposta nacionalidade do bacalhau. Tipificou o dito cujo. - Sim, e daí? 

- É xenofobia.  

- Xenofobia de bacalhau?! 

- E se o dito cujo for português? 

- Está escrito no rótulo da embalagem: “bacalhau norueguês”.  - Rótulos. O que são rótulos, minha senhora? 

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar