Geração Paulo Freire não entende a ironia de Bolsonaro

Comportamento

Marisa Lobo

Publicado em 12/10/2020

Muitas vezes precisamos desenhar o óbvio, já que a geração Paulo Freire produzida pela educação brasileira das últimas décadas parece ter dificuldade em compreender ironias como a usada pelo presidente Jair Bolsonaro, ao dizer que "acabou" com a Lava Jato.

Em nenhum momento Bolsonaro quis dizer que estava interferindo na Força-Tarefa, mas que pela falta de corrupção no seu governo, a consequência lógica seria o fim da Lava Jato. Isso foi o suficiente para parte da mídia oposicionista recortar sua fala para criar sensacionalismo.

Não estamos contra a Lava Jato, nem o governo Bolsonaro. É força de expressão dizer que o fim da operação é a grande finalidade, já que investigações só existem quando há denúncias de corrupção. Não havendo corrupção, não há motivo para investigar. É tão difícil entender isso?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar