Haja o que houver

Cultural

Letícia Dornelles

Publicado em 12/10/2020

Fado é destino. Está fadado. Está destinado. Fadado ao sucesso.  Destinado ao sucesso. Fado é canção. Fado é sentimento. Fado é  tradição de um povo. Fado é Portugal.  

Quando penso em Portugal, lembro de construções de pedra, reis,  mares, caravelas, um falar cantado com a alma em cada sílaba,  azeitonas, cores, galos pintados em azulejos, toalhas rendadas,  bacalhau em postas generosas, pasteis de santa Clara, Nossa  Senhora de Fátima, castelo de São Jorge, Camões, Fernando Pessoa, e fado.  

Fado é canção que invade a alma. Parece um lamento. Ninguém  fica impassível a um fado. Emociona. Seria o destino um fado  triste? Não creio. Sou otimista até a última gota do mar salgado de  Portugal.  


Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar