A hora da mudança chegou. Quem tem medo de William Douglas?

Judiciário

Rogério Greco

Publicado em 28/09/2020

Com a aposentadoria do ministro Celso de Mello, prevista para o dia 13 de outubro de 2020, abre-se uma perspectiva de mudança positiva no Supremo Tribunal Federal.

Como não poderia deixar de acontecer, são inúmeros os candidatos a essa vaga. O Presidente da República não pode errar em sua escolha, sendo grande a torcida para que siga o exemplo do Presidente Donald Trump, que escolheu a juíza Amy Coney Barrett para suceder Ruth Bader Ginsburg, na Suprema Corte Americana.

Isso porque, nos últimos anos, as pautas assumidas pelo STF têm prestado um desserviço ao país. O ativismo judicial chegou a níveis incontroláveis, desde a absurda decisão de comparar as condutas homofóbicas e transfóbicas ao crime de racismo, até a modificação da orientação assumida anteriormente, onde se possibilitava o cumprimento da pena após confirmação da condenação pelos Tribunais.

O Supremo Tribunal Federal se transformou numa Corte Política, onde seus ministros assumem suas posições ideológicas e tentam, ilegalmente, governar o país.

No entanto, chegou a hora de começar uma real mudança e o Presidente da República poderá escolher um nome que lute contra o mecanismo instaurado na Suprema Corte. Em meio a alguns nomes conservadores, não vejo ninguém que supere o do Juiz Federal William Douglas, que só é questionado por quem não o conhece bem.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar