O primeiro-ministro “fake” e o narco-estado chavista

Geral

José Carlos Sepúlveda da Fonseca

Publicado em 22/09/2020

O Secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, fez a sua segunda visita ao País, no último dia 18, tendo desembarcado em Boa Vista, Roraima, para conhecer de perto as instalações da Operação Acolhida, que recebe venezuelanos foragidos da ditadura socialista. Os Estados Unidos cooperam com a Operação, tendo financiado, até ao momento, cerca de 20% dos gastos. Mike Pompeo foi recebido pelo chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, com o qual manteve reunião bilateral.

Logo após o encontro, Pompeo viajou para Bogotá a fim de se reunir com o presidente do país, Ivan Duque, com o qual analisou as ameaças causadas à segurança regional pelos grupos terroristas e narcotraficantes favorecidos pelo ditador Maduro. Faziam ainda parte do périplo de Pompeo, o Suriname e a Guiana.

Defender e promover a democracia no hemisfério

Em declarações à Gazeta do Povo o Itamaraty comemorou a visita de Pompeo, destacando que o Brasil e os Estados Unidos "convergem no interesse de defender e promover a democracia no hemisfério". Recentemente, os dois governos repudiaram a convocação de eleições pelo regime ilegítimo de Maduro, uma vez que não estão dadas as condições mínimas para a realização de qualquer processo eleitoral livre, justo e transparente na Venezuela.

O comunicado do Itamaraty ressaltou, ainda, que o Brasil e os Estados Unidos são as duas maiores democracias e economias do hemisfério: “A visita de Pompeo reflete e reforça o novo patamar alcançado hoje na relação entre os dois países”.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar