Saída pela porta dos fundos....

Judiciário

Rogério Greco

Publicado em 14/09/2020

O Min. Celso de Mello, prestes a se aposentar no Supremo Tribunal Federal, conseguiu se superar, negativamente.

Há poucos meses, determinou fosse dada publicidade, quase que integral, a uma reunião fechada ocorrida no Palácio do Planalto, onde o Presidente da República, na qualidade de Chefe de Poder, cobrava explicações de todos os seus ministros. Uma reunião privada, embora com participantes que exerciam funções públicas.

A decisão do Min. Celso de Mello foi tomada em razão das acusações feitas pelo então Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, em entrevista coletiva, na qual acusou o Presidente da República de fazer interferência indevida sobre a Polícia Federal.

Essa alegação de suposta interferência na Polícia Federal fez com que o Procurador-Geral da República requisitasse a instauração de um inquérito no STF (nº 4.831 DF), cuja relatoria coube ao Min. Celso de Mello que, a fim de apurar os fatos, determinou a apresentação da gravação da mencionada reunião, realizada no dia 22 de abril de 2020, onde, supostamente, haveria prova de tal tentativa de interferência na Polícia Federal pelo Presidente Jair Bolsonaro.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar