A herança maldita do PT

Brasil

Polibio Braga

Publicado em 25/08/2020

Em 1988, eu concluí um conturbado período de administração no comando da Secretaria Municipal da Fazenda, em Porto Alegre, substituindo a depois presidente Dilma Roussef, que saiu pelas portas dos fundos, tudo depois de ter quebrado os cofres municipais, não só por culpa sua, mas também por não ter resistido aos perversos instintos gastadores do então prefeito Alceu Collares.

Éramos todos do PDT.

Nossa administração foi de apenas 3 anos, porque foi a primeira eleita diretamente depois do regime militar, e era preciso ajustar os mandatos municipais aos mandatos estaduais e federais, permitindo mandatos de 4 anos para todos e eleições de dois em dois anos, exceto as de senadores.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar