Oração aos Moços

Brasil

Letícia Dornelles

Publicado em 11/08/2020

Em 1920, Rui não pôde comparecer à formatura dos jovens advogados da Faculdade de Direito do Largo São Francisco. Porém, mandou seu discurso, que virou clássico do Direito, conhecido como “Oração aos Moços”.

Rui escreve como um pai que aconselha os jovens que se iniciam na Justiça. Escreve com paixão sobre ética profissional e pessoal, fatores imprescindíveis para que haja a verdadeira Justiça, e não o exercício do abuso de autoridade ou a perseguição, porque se tem o poder de decisão sobre o destino alheio.

Nunca é tarde para ler os ensinamentos de Rui e ser jovem de coração. Ser justo como Deus assim espera dos homens de bem.

As togas negras poderosas devem ter a pureza dos lírios do campo. Os jovens que ainda traçam seus caminhos devem manter a leveza dos iniciantes ao longo de sua jornada no Direito. Para que nunca haja um ser impedido de sua liberdade ou punido por crimes que não cometeu. Que a boa-fé seja verificada. Que o ódio pessoal não manche a sentença. Que a verdade seja única e não versão domesticada.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar