Educação e Exemplo

Comportamento

Alberto Alves

Publicado em 16/06/2020

“O princípio da educação é pregar com o exemplo”, disse o economista francês Anne Robert Jacque Turgot. A suspensão das aulas presenciais nas escolas por conta do isolamento social imposto pelo Estado devido à pandemia do vírus chinês trouxe à tona um problema que era encarado apenas durante as férias escolares - e apenas para aquelas famílias que não podiam pagar uma colônia de férias para seus filhos. Porém, agora todos estão tendo que enfrentar a mesma situação: o problema da convivência em casa com a rebeldia das crianças.

Não faltou frases de pais, nas redes sociais, em defesa elogiosa dos professores pela obrigação de aturar, não só suas crianças, como as de várias outros ganhando pouco ou insuficientemente para isso. Ao mesmo tempo, muitos professores se manifestaram, quase que comemorando, com sentimentos de desabafo contra os pais que agora estão sendo obrigados a ‘aturar’ seus filhos. Aproveitam então para reivindicar seus direitos, e com razão, por melhores salários e valorização por parte da sociedade como um todo.

É fato que a procura pela profissão de professor de Ensino Básico e Fundamental tem diminuído a cada ano. Essa carência também acontece nas disciplinas de exatas para o Ensino Médio. Os cursos de Licenciatura tem tido cada vez menos estudantes nas faculdades do país.

Mas será que o problema do comportamento por parte das crianças é somente por causa do baixo salário dos professores ou das salas de aula superlotadas? Será que se os professores tivessem condições salariais adequadas e salas bem estruturadas o problema se resolveria? Ou será que o problema não está na falta da presença dos filhos na família? Da necessidade de ter mais tempo em casa em vez da escola? Considerando que as crianças agem por comparação, ou seja, que elas buscam referências para se basear, então fica claro que o problema do seu mau comportamento não está na estrutura da escola, mas na falta da presença dos pais como referência. Não que isso seja culpa deles, pois são obrigados a ficar longe dos filhos muito precocemente para poderem trabalhar.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar