Liberdade e Soberania

Geral

Alberto Alves

Publicado em 02/06/2020

Escreveu, certa vez, o advogado e marchand Ricardo Vianna Barradas: “Sem liberdade de expressão, não existe soberania popular em local algum”. No último domingo de maio, dia 31, enquanto o astronauta Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, transmitia de sua sala, em Brasília, a acoplagem da cápsula americana Dragon, da empresa SpaceX com a Estação Espacial Internacional, era possível ouvir claramente as manifestações de protestos contra as decisões do STF e apoio ao Bolsonaro lá fora, marcando dois momentos históricos. Um em benefício da liberdade econômica mundial, e outro do poder de livre manifestação do povo brasileiro.

Depois da tentativa frustrada de intimidação por parte do STF contra a livre manifestação de opinião do povo, a esquerda, ao que parece, mobiliza uma nova estratégia para derrubar o presidente Bolsonaro. Aliás, querem derrubá-lo antes de outubro. Antes que ele possa indicar o novo ministro do STF e antes que Trump seja reeleito nos Estados Unidos, o que permitirá que Bolsonaro se fortaleça ainda mais e fará com que a esquerda perca sua capacidade de resposta, já que todas as suas outras tentativas falharam.

Existe um padrão de conduta, um modus operandi da esquerda, que precisa ser largamente divulgado e conhecido. Ela começa com campanhas de difamação, mobiliza mídias nacionais e internacionais para promover o assassinato de reputação além da desinformação a fim de descredibilizar seu oponente. Quando o mecanismo não funciona, eles aumentam o tom e tentam usar leis contra seus oponentes. Finalmente, quando ainda essa tentativa fracassa, a próxima investida então é a agressão violenta.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar