A China precisa pagar a conta

Internacional

Rafael Fontana

Publicado em 21/04/2020

Quando o deputado federal Eduardo Bolsonaro (SP) mencionou em sua rede social no fim de março que o coronavírus havia se originado na China, recebeu uma chuva de críticas da embaixada da China no Brasil, em um ataque lançado pelos comunistas chineses e coordenado no Brasil pelo embaixador chinês, Yang Wanming.

A hostilidade do diplomata chinês jamais fora testemunhada anteriormente no Brasil. Nenhuma nação democrática adotaria resposta tão desequilibrada. Insuflado pelo Partido Comunista do seu país, o embaixador comportou-se dentro do Brasil como seus compatriotas totalitários o fazem dentro das fronteiras sinas, como se o gigante sul-americano fosse um dos seus quintais. O embaixador da ditadura comunista disse exigir um pedido de desculpas, ameaçando com retaliações.

A cena de imaturidade diplomática e o completo desapreço pelo respeito bilateral repetiu-se quando o ministro da Educação, Abraham Weintraub, sugeriu que a China seria beneficiada com a crise epidêmica que disseminou pelo mundo. Novamente, o rebento da ditadura chinesa saiu em defesa de seus chefes, bradando ameaças e exigindo um pedido de desculpas que aguarda até hoje.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Para continuar lendo e ter acesso a esse conteúdo exclusivo, assine clicando abaixo.

Assinar